volta a página principal volta a página principal
 
   



Igor · Guilherme

COMO FOI USAR UM GESSO PONSETI PELA PRIMEIRA VEZ
Foi realizar o sonho de um tratamento eficaz, humanizado, com programação definida e indolor para meu filho.

Minha busca
Clique para Ampliar Saí da maternidade com meu bebê e entrei num labirinto com vários minotauros gritando: "cirurgias e mais cirurgias", "seqüelas", "dores pela vida toda". Mesmo assim nunca aceitei que o único tratamento fosse fazer meu filho quase desmaiar de tanta dor na manipulação usual e depois seguir para várias cirurgias. E muito pior, não ver resultados. Os gritos do meu filho foram mais altos. Na verdade, eles é que teceram o fio para eu manter minha sanidade, conseguir sair do labirinto e não desistir de buscar um outro tratamento.

Descobri a técnica Ponseti. E agora?
Quando descobri que havia sim o tratamento que eu idealizava (pesquisando pela Internet), fiquei feliz e triste ao mesmo tempo: impossível ir aos EUA toda semana! Já tinha consultado vários professores e profissionais dos mais respeitados e nenhum dominava esta técnica. Então coloquei para mim mesma: se pessoas do mundo todo vão estudar com a equipe do Dr Ponseti, deve ter havido alguém de São Paulo. E se houve, vou encontrar este médico.

Clique para Ampliar Ao telefone com Dr Ponseti
Liguei para o Instituto de Iowa e pedi uma indicação. O próprio Dr Ponseti me ligou logo em seguida! Não podia acreditar...Ele me perguntou tudo sobre o tratamento de meu filho e disse que me indicaria uma médica. Foi enfático: "Não opere seu filho" No dia seguinte já estava marcando uma consulta com a Dra Monica.

A primeira consulta com a Dra Monica
Se já estava tocada com a atenção e a simparia do Dr Ponseti, o que da Dra Monica ? Ela nos acolheu de uma maneira que nunca vou esquecer. Felizmente não encontrei somente uma ótima médica com uma ótima técnica. Desde o nascimento do meu filho era a primeira vez que eu estava diante de uma ortopedista interessada, atenciosa e dedicada. Ela não tratava os pés do meu filho como mais um caso do dia em que se seguiria o protocolo. Tinha certeza que finalmente estava no caminho certo.

Minha opinião e os resultados do tratamento
É uma técnica que não entende só de pé torto e sim de gente, pois respeita, é maleável e corrige sem agredir.
Descobri que:
- Há uma tabela com parâmetros para os graus da deformidade:
- Deve-se medir os ângulos de flexão dos pés a cada Clique para Ampliar gesso. Ou seja, o controle não é apenas visual. Existe um sistema para calcular a correção meticulosamente;
- Cada gesso é feito com um objetivo específico de correção.
- É possível engessar sem machucar ou causar inchaço nas pernas e pés.
- Ao retirar o gesso no consultório, não se perde a correção anterior.
Enfim, todo o tratamento é controlado, programado. Não um simples tatear no escuro, uma tentativa. Além de ser mais rápido (cinco a sete gessos, e não seis meses) cada manipulação é totalmente indolor. Algumas vezes meu filho chegou a dormir durante a confecção do gesso, inclusive após a tenotomia.
Quando eu vi os pezinhos de meu filho corrigidos, mal conseguia olhar pois tinha finalmente realizado o que parecia ser um sonho: evitar as cirurgias. Falando assim parece que tudo foi como num conto de fadas. E de certa forma foi mesmo. Como eu poderá imaginar isso na maternidade, lá dentro do labirinto com os famintos minotauros? Todo o trabalho para chegar até aqui não foi nada perto de toda a dor e as conseqüências que pude evitar para meu filho. Isso para mim é que é o conto de fadas: eu venci os minotauros!!!!! A história ainda não acabou : há todo m trabalho para manter a correção. Mas ele requer ingredientes que já estão em uma mãe.Pois todas nós para criarmos nossos filhos precisamos de disciplina, perseverança e firmeza.

Muito obrigada Dra Monica e Dr Ponseti!